12 de junho de 2017

        

 

CNS reforça comitiva na 106ª Conferência Internacional do Trabalho

Evento anual da OIT discute temas essenciais para as relações de trabalho no mundo

 

A comitiva da CNS representada pelo presidente Tércio Kasten, o vice-presidente Marcelo Brito, o assessor jurídico da Confederação, Alexandre Zanetti,  o assessor da presidência da CNS, Braz Vieira e o membro do Conselho Jurídico da CNS, Rodrigo de Linhares, participou da agenda de compromissos nesta segunda-feira, em Genebra, na semana de trabalho da Confederação da OIT.

A Conferência comemorou nesta segunda-feira (12/06), o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil. Nesta sessão, as delegações  elegeram a Mesa da Conferência que constitui comitês e levam as outras decisões necessárias sobre o tema.

A Confederação Nacional de Saúde (CNS), mais uma vez, participa da Conferência Internacional do Trabalho (106ª CIT),  neste ano estreia como titular na bancada dos empregadores da Conferência.O evento  reúne os 187 países- membros da Organização Internacional do Trabalho (OIT). A Conferência Internacional do Trabalho é a instância máxima da entidade – formada por governos dos estados-membros, representações de empregadores e de trabalhadores – na qual as definições sobre convenções e recomendações na área trabalhista são discutidas e definidas. Nesse ano, o principal tema em debate é sobre a participação do sistema sindical e afins, para capacitar as empresas na recepção dos migrantes, tendo como coordenação de todos esses pontos, necessariamente, o setor privado.

"A participação da CNS na Conferência é de suma importância principalmente porque representa hospitais e demais estabelecimentos de saúde nas discussões da Conferência da OIT", destaca o presidente da CNS, Tércio Kasten..

A OIT

Criada em 1919 a Organização Internacional do Trabalho foi estabelecida após a 1ª Guerra Mundial. Com uma estrutura tripartite, tem o objetivo de promover normas, princípios e direitos fundamentais do trabalho, gerar empregos dignos, fomentar a proteção social e fortalecer o tripartismo e o diálogo social. O Brasil está entre os membros fundadores da organização.