13 de setembro de 2017
      

CNS ENCAMINHA REIVINDICAÇÕES PARA SETOR DA SAÚDE EM ENCONTRO COM TEMER

A Confederação Nacional de Saúde (CNS) participou nesta terça-feira (12), de reunião conjunta com a Federação das Indústrias do estado de São Paulo (Fiesp) e as Centrais Sindicais no palácio do Planalto, em Brasília.

O encontro que contou com a presença do presidente da república, Michel Temer reuniu integrantes da área econômica e lideranças do governo com o objetivo de receber as reivindicações dos representantes do setor da saúde, indústria e das centrais sindicais.

De acordo com o vice-presidente da Confederação Nacional de Saúde, Breno Monteiro a reunião foi uma tentativa de sinalizar para o Governo Federal as iniciativas que podem fomentar a geração de emprego no Brasil,” foram trazidas algumas propostas de desburocratização da máquina e de facilitação do crédito e de outras iniciativas que possam gerar emprego, haja vista, que nós temos 13 milhões de desempregados”, destacou Monteiro.

Na ocasião os sindicalistas entregaram ao presidente um documento com as pautas e reivindicações dos diversos setores. Temer informou que quer governar com o apoio de todos e que está aberto para ouvir as propostas que foram apresentadas e que visam auxiliar a retomada do crescimento e do emprego. De acordo com presidente, depois de ouvir todas as propostas o governo vai avaliar o que pode fazer e quais sugestões e demandas poderão ser atendidas.

O Michel Temer também acatou a sugestão de criar uma comissão interministerial com participação de membros do executivo, legislativo e com representantes dos empregadores e trabalhadores para dar provimento as postulações apresentadas na reunião que durou toda a manhã.

O vice-presidente Breno Monteiro que esteve presente representando o presidente da Confederação Nacional de Saúde, Tércio Kasten ressaltou que o setor é de extrema relevância para a retomada do crescimento e do emprego porque simula algo em torno de 9% do PIB brasileiro, “é um setor muito pujante, com grandes investimentos da iniciativa privada que gera mais de 4 milhões de empregos, uma cadeia produtiva muito diversificada e que mesmo no período de crise não proporcionou desemprego”, explicou Monteiro.

Participaram do encontro os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Casa Civil, Eliseu Padilha, do Planejamento, Dyogo Oliveira o presidente do Senado, Eunício Oliveira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, entre outras lideranças do governo.